Bahia vence a Ponte Preta na Fonte Nova e abre distância do Z4

Mendoza e Edigar Junio marcaram os gols que garantiram o triunfo tricolor

Na estreia da camisa vermelha do Bahia, terceiro uniforme do clube, o tricolor venceu a Ponte Preta na tarde deste domingo (5), na Fonte Nova, por 2×0, e abriu distância da zona de rebaixamento. Os gols da partida foram marcados por Mendoza, no primeiro tempo, e Edigar Junio, no segundo. O resultado deixa o Esquadrão momentamente na 10ª colocação, com 42 pontos. Pode cair para 11º caso a Chapecoense vença o Sport, ainda neste domingo.

csm_Mendoza_ef53d0cda3

Diante de um adversário direto na fuga do Z4 e com o apoio da torcida, o técnico Paulo Cézar Carpegiani colocou um time ofensivo em campo, com apenas um volante e o quarteto formado por Allione, Vinícius, Zé Rafael e Mendoza para municiar o centroavante Edigar Junio. Mas o que se viu nos primeiros minutos foi um jogo de muito estudo entre os dois times. O primeiro lance de perigo só saiu aos sete minutos, em cobrança de escanteio da Ponte Preta que Jean afastou de soco.

Apesar da ofensividade, o Bahia tinha dificuldade para passar pela marcação montada pelo time paulista. A situação quase ficou boa para o tricolor aos 19 minutos. Depois da saída errada da defesa da Ponte, Zé Rafael roubou a bola e tocou para Edigar Junio. O atacante tentou cruzar para área, mas a bola bateu no defensor e foi para escanteio.

O grito de gol que estava entalado na garganta do torcedor saiu aos 26 minutos. Allione fez a jogada e deu passe açucarado para Mendoza entrar sozinho na área e tocar na saída do goleiro Aranha. O placar poderia ter ficado ainda mais favorável um minuto depois, quando, em lance semelhante, Edigar Junio recebeu livre de Zé Rafael e mandou para fora.

O jogo voltou a ficar frio após o gol, com pouca produtividade ofensiva dos dois times. Aos 42, Renê Junior tentou surpreender o Aranha de cabeça em falta cobrada na área por Allione, mas o goleiro fez a defesa.  A Ponte teve a bola para empatar o duelo antes do fim da primeira etapa: Claudinho chutou para fora.

Mais volume
No segundo tempo, Capergiani voltou com Juninho no lugar de Vinícius. A mudança surtiu efeito. Em sua primeira jogada, Juninho mandou de fora da área e obrigou Aranha a fazer boa defesa. Minutos depois foi a vez de Tiago chutar em cima de Aranha e ganhar escanteio.

Com mais volume de jogo, o Bahia passou a criar as melhores joagadas, mas tinha dificuldade na hora de concluir ao gol. Aos 22 minutos, Zé Rafael recebeu na entrada da área e arriscou o chute, mas Aranha fez a defesa. O mesmo Zé Rafael voltou a arrancar suspiro da torcida ao invadir a área em condições de fazer o chute. Emerson conseguiu fazer o corte e mandou para escanteio.

Do outro lado, a Ponte tentava chegar em cobranças de falta e cruzamentos na área que pouco assustavam o goleiro Jean. Aos 33, de novo Zé Rafael teve a chance de ampliar o placar, só que chutou em cima do zagueiro Rodrigo depois do cruzamento de Edigar Junio e viu a bola sobrar livre para Aranha.

Nos minutos finais, um lance polêmico. Edigar Junio recebeu de Régis dentro da área e caiu. Os jogadores ficaram pedindo pênalti, mas o árbitro mandou o lance seguir e deu cartão amarelo para o atacante.

Apesar de desperdiçar chances, o Bahia pouco era atacado pelo Ponte Preta. Já nos acréscimos, o placar parecia definido quando Edigar Junio recebeu bola de Mendoza e chutou sem chance para Aranha, marcando o segundo gol aos 49 minutos.

O próximo compromisso do Bahia será na quarta-feira (8), diante do Avaí, no estádio da Ressacada, em Florianópolis. No mesmo dia, a Ponte Preta receberá o Grêmio. O time paulista tem 35 pontos e continua no Z4.

.

RTEmagicC_c6cebb5f20.gif


Comentários