Mais de 20 pessoas foram laranjas em fraude de R$ 73 milhões na Bahia

Esquema para driblar fisco criou 15 empresas que não faziam o recolhimento do ICMS

csm_19102017AP_operacao__1__7ebe764c7f

Mais de 20 pessoas foram usadas como laranjas no esquema de sonegação fiscal que resultou na Operação Beton, deflagrada nesta quinta-feira (19). Três empresários e um contador do ramo de material de construção e de transportes foram presos temporariamente. O prejuízo aos cofres públicos, até o momento, foi de R$ 73 milhões, com o não recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço (ICMS).

De acordo com a inspedora fazendária Scheilla Meirelles, da Secretaria estadual da Fazenda (Sefaz), os laranjas não tinham condições financeiras de arcar com o prejuízo e, por isso, o Estado não teria como recuperar o valor que foi deixado de ser arrecadado pelas empresas.

“Na maioria das vezes eles sabem, mas não sabem da gravidade, assinam documentos, às vezes até para não perder o emprego ou para receber uma remuneração pequena e ter o nome deles nas empresas. O Estado não tem como fazer a cobrança a essas pessoas que não têm condições financeiras para recolher esses impostos”, explicou.

Foram presos o dono da empresa Concremassa, José Alberto Cardoso, o filho dele, Raul Góis Cardoso, o contador da empresa, José Humberto Lira de Almeida, além de Otoniel Leal Andrade Junior. Raul também é dono da academia Well Prime, no Jardim de Alah.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Salvador e cumpridos por equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil em operação deflagrada pela força-tarefa que reúne ainda a Sefaz e o Ministério Público Estadual (MP-BA).

.

RTEmagicC_c6cebb5f20.gif


Comentários